sexta-feira, 13 de abril de 2012

500 cartas para ela - Dia 49 - Não daria certo

Não me dê uma chance, nem duas, nem três pois não daria certo, não nos daríamos bem. Concordas comigo que é lógico que não teremos um futuro romance ardente e apaixonado? Nem sei se um futuro outro teremos... Veja, não nos vemos todos os dias, não ligamos uma para outra, eu não sei dos seus segredos, não sei nem seu endereço. Não temos assuntos em comum, felizmente temos amigos em comum e são eles que mantem nossa ligação "ligada". Triste, mas é melhor eu esquecer esse amor platônico, é melhor eu desistir do projeto, quais os motivos que tenho para continuar?

Gasto paredes pensando em você,  gasto calçadas, carros, avenidas, árvores, pessoas, gasto todas as paisagens possíveis pensando no que não foi, no que poderia ser, no que devia ter sido e no que eu quisesse que sesse. Ai sentimentos, vão se embora. Porque Platão teve que existir? Só para que eu viciasse em amores platônicos? Eles me cansam, me prendem, mas eu gosto. Que raiva, eu não deveria gostar, deveria odiar, tentar me livrar, porém prefiro sentir isso do que não sentir nada. Estou quase a banalizar meu sentimento por ti, me desculpe, mas se não esse qual outro motivo eu teria para continuar a te escrever? Meu sentimento me apoia. E se seres humanos por ai têm as próprias pessoas como base, eu não tenho, tenho meus sentimentos como base, quem precisa da razão? Meu sentimento é lindo.

Como eu dizia... Não daria certo, tem tudo ou quase tudo para dar errado. Se bem que... Eu posso ser uma ótima companhia em noites frias ou quentes, em manhãs nubladas, em tardes ensolaradas. Sei fazer café e ele nunca fica muito doce ou amargo, mas é sempre forte. Tudo bem que eu não tenho um emprego nem uma casa, contudo tenho um grande futuro pela frente. Dai paro e me lembro que a sociedade é heterossexual e homofóbica, então todos os meus planos se vão, a perfeição que eu via se desfaz e as palavras bonitas me somem da mente...
E quem é que tem medo do lobo mau? Vivo nesse mundo pelas emoções que a vivência me trás e se for para não ser difícil, prefiro que seja coisa alguma a preferir que seja fácil. Mas então, daria certo sim, rs.

Com a mais confusa paixão,
Jessica Mota

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado