quarta-feira, 25 de abril de 2012

500 cartas para ela - Dia 60 - Ontem

Querida N.P,

Essa carta era para ter sido escrita ontem, mas eu fiquei doente de amor, logo, impossibilitada de escrever para você. Ontem eu escreveria a sua ultima carta, porém só de pensar que seria a ultima, adoeci. Deitei-me as 22 horas, não conseguia ouvir meus pensamentos, não conseguia ouvir nada. Ainda estou um pouco doente, mas faço o possível para lhe escrever, sinto dizer, a próxima carta será a ultima.
Ontem quando fui tomar café, senti que ele estava sem açúcar, o meu croissant estava sem queijo, tudo estava diferente e para pior. Talvez doesse em mim a dor do fim, porém sei que é a coisa certa a se fazer. A minha respiração está ofegante, a minha velocidade está constante, ando sem querer parar, sem saber o meu caminho. Por mais de tudo isso, tento estar calma, tento ser racional. Ainda hoje tomei um Doril. Estou suando quente, não sei o que isso significa. Fique calma, me sinto bem ou ao menos melhor agora.
A parte triste de finalizar o projeto é que não me pagarei sentada em um lugar qualquer escrevendo para você. Não me pegarei pensando no que te escrever. É engraçado, prego peças em mim mesma, em um dia escrevo sobre o quão é ruim algo, o quanto não aguento mais e já no outro dia me sobram lástimas por parar de fazer o que ontem eu já não queria mais.

Perto do fim,
Jessica Mota

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado