quinta-feira, 26 de abril de 2012

500 cartas para ela - Dia 62 - Findando-te

Querida N.P,

Hoje andei pela rua com uma das mãos fechadas, não cantei as músicas da rádio em voz alta, muito menos as dublei com alegria. Hoje eu não andei dançando pela calçada, não consegui sentir a música no meu coração, pensei em enterrar rosas para você e pude até sentir tu indo embora de mim...
Não quero ao certo findar-te, só quero botar um fim em algo que já me cansou. Não aguento mais dar tanta atenção à esta paixão. Não aguento chegar em casa todos os dias e dar preferência as minhas cartas para você. Eu não aguento mais passar o dia inteiro pensando no que escrever, não aguento ter várias ideias, não aguento esquecer minhas ideias, não aguento não ter ideias. Não aguento. não aguento, eu não aguento mais. Quero gritar, quero me jogar para fora dessa paixão, quero fugir, quero ir pra onde ninguém possa me encontrar, pra onde ninguém possa me perguntar sobre esse amor. Não quero mais falar disso, não quero mais mostrar o quanto é bonito, pois de que adianta ser tão lindo? De que adianta? Me diz por favor de que adianta tudo isso? Não adianta mais de nada, confesso que adiantou, confesso que eu aprendi, mas não aprendo mais, não entendo mais qual é o sentido de continuar com esse projeto, de continuar nesse projeto. Não vejo mais sentido. Não quero mais continuar com isso, não me parece mais tão bonito. Quero que me perdoe por tudo, me perdoe por ter escrito 62 cartas para ti e não 500, me perdoe por ser fraca e não aguentar mais. Perdoe-me. Perdoe-me pela tristeza enterrada nesta carta, perdoe me pelas flores não dadas, pelo carinho contido, pela saudade exagerada e pelo amor preso para todo o sempre dentro de mim. Só espero não sentir tão cedo isso de novo. Espero que fique bem, longe das minhas palavras, eu espero que fique bem. Longe das minhas poesias, eu espero que fique bem. Longe da minha música, eu espero que fique bem. Longe de mim, eu espero que fique bem. Eu espero que fique bem longe do meu coração ou que fique perto de vez.

Com uma triste alegria pelo fim e uma imensa vontade de voltar atrás,
Jessica Mota Fernandes
Jessica Nada Contentes
Jessica Nada Felizes
Jessica Nada Sentistes
Jessica Exagerada Demais
A Jessica só ouve o seu coração quase parar agora.

O texto original foi escrito a lápis para que se apague
Para que se apague um dia
Para que se apague um dia quem sabe
Para, quem sabe, um dia se apague.

Fim

4 comentários:

  1. Gostava mais quando todo dia tinha algo novo para ler... fique sabendo que tem muito mais pessoas se sentido abandonadas do que sua musa =p

    ResponderExcluir
  2. Nossa que forte O_o
    - sinto muito =/

    ResponderExcluir
  3. isso dói, eu sei.....deixar uma paixão ir embora, é muito mais dificil do que deixa-la viver, florescer e te aquecer internamente, mesmo q n tenha nenhum combustível externo para ela.....

    eu ja ouvi uma vez, que sofrer por uma paixão, não passa de uma forma de cont a viver esta paixão mesmo q o objeto dela n esteja mais ali....e é compreensível q escolhamos cont vivendo-a, afinal, pq deixa-la se era algo q poderia ter sido tão bom, n é?

    Mas vc faz a escolha certa quanto a deixa-la ir....justamente pq "poderia ter sido tão bom" mas não o foi....n chegou a ser algo....só uma amizade, um devaneio, uma ilusão, um desejo e nada mais! Um sentiment maravilhoso, q ficará com vc para sempre, mas q n chegou a ser memoria...então se permita esquecer, se permita curtir o que ficou, uma linda amizade, q pode ser mais forte do q qualquer outra coisa q vc ja teve.....

    se precisar conversar.....é só chamar...ou ligar!

    ResponderExcluir
  4. ai que linda *_______*

    são belas palavras de apoio, concordo com tudo ^^
    tou me dando bem com tudo isso =)
    muito obrigada srta brunelo *___*

    ResponderExcluir

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado