quarta-feira, 4 de julho de 2012

No meio do vale ensolarado, as trevas me alcançaram antes do anoitecer
A felicidade se precipitou em meu corpo e transformou-se em liquido que vazou pelos meus olhos
A confusão em minha mente se materializou e flutuou em forma de suspiros
Eu quero voltar para o sol

Eu quero sempre estar no sol, chega de fingir que esta calor no escuro
Não! Não esta calor no escuro, e devo admitir que também não estava tão quente assim na luz

Sou um homem ao sol
E uma criança nas sombras

Que a felicidade não vaze mais de mim
Que os suspiros sejam de alívio

Agora caminho em vales escuros e estou a procura de um único vestígio de luz, quente o suficiente para secar essa felicidade precipitada de meu rosto.


JOÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado