domingo, 2 de setembro de 2012

A hora de dormir tem sido a minha preferida

Acordo, vou até o banheiro e lavo o rosto.
Olho no espelho e não tenho certeza se gosto do que vejo
Me visto e saio para a rua.

Para fazer de maneira metódica involuntária o que faço todo santo dia.

O sol que não posso aproveitar da maneira que quero bate em meu rosto e esquenta o sangue do meu rosto durante alguns segundos até que a lage de um prédio nos separe.

8 horas enclausurado
10 minutos de caminhada até a estação de trem
56 minutos de viagem sobre os trilhos, com pessoas diferentes, no mesmo lugar, partilhando do mesmo tédio.

Mais 4 horas com o rosto afundado em livros... que talvez algum dia me levem a um futuro um pouco mais próspero.

Tudo cronometrado, tudo contado, toda vontade suprimida.

Chego em casa, olho no espelho... e não sei o que vejo.
Hoje tenho 130 anos, isso não estava nos meus planos.

Então é a hora de dormir...
Fecho meus olhos, e desligo. Acordo em outro mundo, onde posso fazer o que eu quero durante algumas horas até que o pesadelo de acordar recomece.
Me deixe dormir, me deixe ficar aqui

JOÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado