segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Da voltinha da varinha de condão


Na maioria dos dias eu tenho completa certeza. Vejo os olhos dela olhando para os meus e não tenho dúvida alguma de que ela nasceu pra mim e eu pra ela. Mas se ouço aquela música que fiz, me lembro de tudo de ruim que já aconteceu. Da minha quase morte...
Não quero decepcionar ninguém, mas também não consigo enxergar o erro que estou cometendo, pois para mim não existe erro, é só amor.
Queria mesmo é ter as duas. A amizade eterna de uma e o amor da outra. Todos deveriam entender e se o entendimento não for possível, deveriam apenas respeitar. Respeitar a vida dela, sabe? Por mais que ela seja nova e não mande nela, ainda, ela tem o direito de ser feliz assim como todos os outros seres humanos que vivem na terra. Talvez eu não entenda, afinal, não sou os pais dela e nem vivo na casa deles...
Sei lá...
Não, eu sei sim. Eu gosto dela!
Fico pensando nela a todo instante, fico imaginando o dia que vão me perguntar se eu namoro e eu responderei:

- Namoro a Menina mais bonita do mundo, a mais inteligente, a mais engraçada, mais louquinha. Namoro a menina que mais me ama, que mais me quer bem.

Fico devaneando...

Você é meu sonho até quando estou acordada. A menina mais chata! Obrigada por preencher meu coração.


Jessica Mota

2 comentários:

  1. "Namoro a Menina mais bonita do mundo, a mais inteligente, a mais engraçada,... "

    Sempre soube que você queria me namorar!! HÁ! Te amo coisinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UHSUAHSUAHUSHAUHSUA'
      besta!
      eu queria, mas vc me dispensou, rs
      Amo!

      Excluir

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado