quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Devaneio de um amante nostalgico

Dei por mim com o celular na mão
Seu número na tela, como quase nunca aconteceu
Não sei como aconteceu, mas soube que esteve triste
Então tudo o que eu queria, era poder fazer alguma coisa
Para que você se sentisse melhor

Olhar nos seus olhos e me sentir melhor também
Mas a tecla verde do celular não foi pressionada

Dei por mim pensando em você
Numa tarde chuvosa, como há muito não acontecia
Que pensamento mais tentador, apenas você sorrindo ao vento
Você sempre foi minha melhor desculpa, para justificar que ainda posso sentir algo belo
Mas sei que não acontecerá quando nos encontramos

As coisas estão melhor assim
Adormeci pensando, mente em branco na alvorada

Encontrei-me te seguindo
Pelas lembranças e recordações
Acompanhado cada passo dado
Imaginando nada mais do que nada
Observando-te apenas

Imagino-te em sua casa, sozinha em seu quarto
Você fecha os olhos e pensa em momentos nostálgicos
Eu não tenho certeza, mas não faço parte deles

Devaneios vem e vão.
Este chegou, deixei-o entrar
Espero que este se divirta em sua estadia
Foi bom te-lo novamente comigo
Mesmo que só por um dia.

JOÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado