domingo, 27 de janeiro de 2013

Fantasio

Histórias de amor não existem. Nunca vivi uma. Apenas fantasio e acho com isso que fantasias um dia se transformarão em realidade, num passe de mágica. Mas não vão. Não é assim que a magia funciona. Não é assim que eu funciono.
Amo logo existo? Que palhaçada. Eu só existo porque amo, porque sou apaixonada pela vida e pelas pessoas. Mas que desgraça! Por que raios eu cai no caldeirão de amor? Exalo amor, suo.
Ó pequenina, ó minha pequena menina. Desculpe-me pelo transtorno. Desculpe-me pela bagunça que fiz em seu coração. É certo que baguncei o meu também, mas com o meu posso fazer o que eu quiser. Com o meu eu me viro depois. Usando band-aids e esparadrapos. Porém não tenho direito algum de afetar seu coração. Perdoe-me.
Antes eu tivesse ficado calada e não tivesse movido nenhum músculo. Que mania a minha de me envolver...
O pior é que se eu pudesse voltar atrás, eu realmente faria tudo de novo. Do mesmo jeito idiota. Deixando-me levar pela emoção mais uma vez.
O que é razão? Alguém por acaso consegue segui-la? Eu não.
Eu sigo a vida. As setas no chão. As moléculas de nitrogênio, contidas no ar. Sigo o cheiro de fruta. Os sorrisos, os risos. Eu sigo a alegria e os cabelos. Sigo a pele e a cintura. Eu sigo. Sigo...
Contudo, sinto que toda essa ilusão, no fim, me levará para um lugar bom. Um lugar protegido do mundo, dentro do coração de alguém. Que seja dentro do coração dela. Dentro do seu coração.

Jessica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado