domingo, 24 de fevereiro de 2013

Masturbação Mental - Dia 4 - Mestre em manter a inatenção


Olha-lá o pintinho amarelinho. Que bonito esse passeio. Que bonito o passarinho.
Já não sei como prender-me, como manter-me atento. Tento. Mas não posso, não consigo.
Duas horas da tarde. Meu momento precioso. Concentro-me, porém me perco. O que fazer? Não quero mais tentar, pois sei que não vou conseguir. O tempo se vai, o dinheiro se vai, meus curtos anos se vão e eu continuo aqui nessa cama (bi). Becama. Biliche. Contínuo nessa casa de um cômodo, sem um troco. Você está sozinho! Assopraram em meus ouvidos. De primeiro instante eu não ouvi, foram só zumbidos. Mas depois o som navegou em minha mente e eu me senti só. Tem razão. Pensei. Sou mesmo o mestre da inatenção. Sobrevoo terras pretas, sobrevoo o Pantanal. Mal consigo manter-me em uma linha linear de pensamento. Nenhum de vocês entendem e nem entenderiam se eu conseguisse.
Curto, compartilho, crio. Quem se importa? Os olhos não estão mirados em mim. Sou pobre. Componho mal meus corações. Canto errado minhas paixões. Culpado não sou, mas sinto que inocente também não. Borboletas voam ao meu redor. Nem se quer uma, pousa em meus ombros tortos. Eu sou moleque. Verdade mesmo é que estou só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado