terça-feira, 4 de março de 2014

O diário de um banana - Penso, logo não chego a nenhuma conclusão.

Neste momento eu estou pensando em você.
Você esta em minha mente, em uma imagem parada, como se eu tivesse dado um pause em um filme.
Saio na varanda mais alta de minha casa e olho a cidade lá embaixo. Fiz isso pela manha... e a noite. Nas duas vezes pensei a mesma coisa: O que você estaria fazendo naquele exato instante? Estaria pensando em mim? Se não, andou pensando em mim? Se não, o que você estaria fazendo, em quem andou pensando?
Nos últimos dias uma das coisas que eu mais quis era estar com você, conversar com você, ou simplesmente saber que você pensou em mim em algum momento.
Fiquei ligeiramente triste pela frieza com que você me tratou na última vez em que nos falamos. Bem, com aquela frieza eu já sei que a resposta para as perguntas que fiz acima é "não".
Fui apenas mais um nômade em sua vida, eu já sabia. Algumas coisas fogem de nosso controle. Se eu pudesse controlar, é claro... eu faria tantas coisas... eu faria com que você precisasse de mim. Faria com que sem mim você sofresse tudo o que sofri. Faria com que sem mim você passasse todas as noites sem dormir pensando em mim. Faria com que eu fosse o último pensamento em sua cabeça antes de dormir. Mas isso seria muito artificial, pois seria algo comandado por mim, anti natural. E se a natureza não colabora para que tudo isso aconteça naturalmente, ou melhor, já que a natureza fez tudo isso acontecer unilateralmente comigo... tenho apenas que me conformar.

Caro derradeiro e raro leitor, se não entender esta página do diário, leia outra publicação qualquer. Hoje decidi escrever exatamente o que sinto, e como nem eu entendo isso as vezes, quem dirá você.

João.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos gratos pelo seu comentário, comente sempre, isso nos ajuda a saber nosso progresso na escrita.

Obrigado